Tentei uma, duas, três… perdi a conta. Tinha um plano A, um B, um C, e você sabe como o alfabeto termina. Você me deu milhares de razões pra ir embora, isso tudo em ordem cronológica. Nunca consegui desisti, nunca consegui ir embora, e isso é horrível, porquê eu sei que mesmo que acabassem todas as alternativas, eu ainda ia acreditar na gente, esse negócio todo de esperança é foda.

Sorry, I’m not Chuck Bass.   (via sustentadora)

(Fonte: principar, via sustentadora)

Nessa dolorosa espera vou me distraindo, vou tentando não me importar, sinto raiva, felicidade, alívio. Lembro de coisas boas e também de seus defeitos, sei que não fui a melhor possível mas dei suporte para a abertura de novos caminhos, tropeço em minhas próprias palavras por não saber explicar, é o fim, mas também um novo começo, uma história escrita jamais é esquecida, carrego os abraços, os beijos, o aquecimento no inverno, as risadas fora de hora, a amizade do começo, a ironia nas conversas, os ciumes, as chatices, as discussões, tudo me trouxe bagagem, mas agora é hora de deixar partir, de não lamentar e ficar feliz por essa passagem, crescendo e encontrando novas oportunidades de sorrir.

— Dometila

Dometila, se perdeu da determinação, não tem alguém no mundo que ela goste por inteiro, não tem o que a anime, ou que tire sua parcial tristeza, Dometila, está perdida menos que antes, mas pior do que ja foi, sempre confusa, sempre distante. Dometila pega no sono e tenta ser feliz pelo menos la

Por favor não me prometa o mundo, não quero tudo isso, eu só quero atenção. Quero que note o novo corte de cabelo ou a cor que quase imperceptivelmente mudou. Diga diariamente o quanto me ama, diga várias vezes e não só com a boca, use os olhos e seu coração, use a alma pra me falar do seu amor. Lembre-me diariamente que sabe e pode me fazer feliz, relembre-me dos nossos primeiros encontros e de como você adorava rir ao telefone. Lembre-me do quanto eu amava seu riso ao telefone. Lembre-me o porque de nossos beijos se completarem e não se esqueça de dizer o quanto quer que isso nunca mude. Às vezes eu não vou merecer isso, mas tenha paciência e só aumente o tom de voz quando precisar cantar nossa canção pra que eu perceba que ela ainda faz sentido. Quando eu não merecer seu beijo me beije assim mesmo e não diga nada, eu vou saber interpretar seu silêncio e vou querer corrigir meu erro. Não deixe que outro alguém me dê ombro quando o ombro que me pertence é o seu e não deixe que ninguém seja mais meu amigo que você, não quero ter segredos com outra pessoa, entende isso? Se não houver mais planos e de alguma forma perder a graça, me diga isso e diga se quer recuperá-la, diga antes que seja tarde e eu farei por ti ainda mais que o que faço, qualquer coisa, um sonho doido, o que quer que seja pra que a mágica não se perca. Esteja atento a mim, mostre-me isso, se mostre aqui. Estou ligada em tudo que te cerca e a única coisa que pode evitar que isso mude é que você faça o mesmo por mim. Me ame de volta, com toda a atenção e carinho que também lhe dedico, me ame por inteira e permita que eu possa te amar também. Me ame de verdade e convença-me, todos os dias, que não fará sentido algum amar outro alguém.

Chuck and Blair.     (via palavrisses)

(Fonte: s-i-m-p-l-i-f-i-c-a-r, via palavrisses)

Desde os 35 anos eu vinha escrevendo poemas e contos. Decidi morrer no meu próprio campo de batalha. Sentei-me em frente à minha máquina de escrever e disse, agora sou um escritor profissional. É claro que não foi assim tão fácil. Quando um homem trabalha num mesmo emprego durante muitos anos, não é dono do seu tempo. Quero dizer, mesmo com uma jornada de oito horas, o dia está tomado. Some o tempo que leva para ir e voltar do trabalho, mais o trabalho em si, mais comer, dormir, tomar banho, comprar roupas, carros, pneus, baterias, pagar os impostos, copular, receber visitas, ficar doente, sofrer acidentes, ter insônia, ter que se preocupar com a roupa suja e com assaltos e com as condições climáticas e todo o resto que não dá pra mencionar, não sobra tempo algum para se gastar consigo mesmo. E, quando é preciso fazer hora extra, muitas vezes algumas dessas necessidades têm que ficar de fora, até mesmo dormir, e, mais comumente, copular. Que porra é essa? E tem semanas em que se trabalha cinco dias e meio, seis dias, e no domingo é esperado que você vá à igreja ou visite os parentes, ou os dois. O cara que disse “o homem comum vive uma vida de silencioso desespero” tinha um pouco de razão. Mas o trabalho também acalma os homens, dá a eles alguma coisa pra fazer. E impede a maioria deles de pensar. Homens – e mulheres – não gostam de pensar. Para eles o trabalho é uma dádiva. Dizem a eles o que fazer e como fazer e quando fazer. Noventa e oito por cento dos americanos acima de 21 anos estão trabalhando, mortos-vivos. Meu corpo e minha mente me disseram que dentro de três meses eu seria um deles. Eu me opus.

Charles Bukowski. (via eufonias)

(Fonte: recomendar, via eufonias)

E ja não se falam de amor, apenas olhares de cantos que transbordam traição e nenhuma culpa, falam de como o mundo vai mal e como as pessoas são más, me falam sobre a gata da TV, me falam sobre as músicas de péssima qualidade, me falam da luta de um país e sua outra metade esquivada, cega e doente, já se esqueceram da lua, não se falam de livros, me passam rancor, me sobra o desamor e ao meu leito só vejo dor.